Webnode

Rã Albina - Xenopus laevis

 

Nome comum:                                                     Idioma:

rã-africana                                                               Português

african-clawed-frog                                                 Inglês

rana-de-garras-africana                                         Espanhol

common-platanna                                                    Inglês

glatter-krallenfrosch                                                Alemão

 

Descrição morfofisiológica:

As espécies do gênero Xenopus são as únicas a apresentarem dedos com garras e dentre os representantes do gênero Xenopus, a espécie Xenopus laevis é a única a exceder 100 mm de comprimento. As fêmeas da espécie são consideravelmente maiores que os machos, podendo medir de 110 a 130 mm de comprimento, e os machos são entre 10% e 30% menores. As fêmeas chegam a pesar 200 g, enquanto que os machos pesam em média 60 g. Seu corpo é achatado e a cabeça é relativamente pequena. A pele é lisa e apresenta coloração marrom-oliva com manchas mais escuras na região dorsal e branca na região ventral. Não possui língua, dentes, pálpebras e ouvido externo. Nos membros anteriores (menores que os posteriores), a  membrana  interdigital é ausente enquanto que nos membros  posteriores, além da membrana interdigital, possuem garras nos três dedos mais externos. Seu sistema sensorial, localizado lateralmente na superfície da pele dá a aparência de costura na pele do animal. Representantes da espécie Xenopus laevis são aquáticos na maior parte do tempo, saindo da água apenas quando forçados a migrar para outro local.

Rota de dispersão:

Aquarismo

Vetor de Dispersão:

Aquários domésticos e lojas de aquário

Reprodução:

Sexuada

Forma biológica:

Anfíbio

Dieta:

Onívoro  

 

 

Introdução:

A rã Xenopus laevis é historicamente (desde a década de 50) empregada em testes de gravidez.

 

Causa da introdução:                                      Forma:             Local:                                 Data:

Criação                                                               Desconhecida                                                   1950

 

Uso econômico:

Espécie largamente utilizada em laboratórios, principalmente em pesquisa no ramo de embriologia dos vertebrados, pois as fêmeas são eficientes depositoras de ovos, e seus embriões são transparentes, facilitando assim a visualização do desenvolvimento embrionário. Também vendida em lojas de aquários como animais domésticos.

 

Impactos ecológicos:

A espécie Xenopus laevis é bastante agressiva, atacando qualquer coisa (animada ou inanimada) que passe na sua frente. Compete com espécies nativas, podendo causar diminuição na população dessas espécies.

 

Organismo afetado:                                       Nome comum:                Família:

Rana aurora draytonii                                         california-red-legged-frog    Ranidae

 

Prevenção:

Para se evitar a invasão de Xenopus laevis, deve haver uma conscientização da população para não soltar indivíduos adquiridos em lojas de aquário ou em laboratórios.

 

Controle mecânico:

Drenagem de lagoas mostrou ser eficiente para controle de pequenas invasões.

 

Área de distribuição onde a espécie é nativa:

Regiões frescas do sul da África, incluindo as regiões de planalto do Cabo africano.

 

Ambiente natural:

Em quase todos os ambientes aquáticos de sua área de distribuição natural.

 

Ambientes preferenciais para invasão:

Praticamente todos os tipos de ambiente aquático desde poças de água parada até rios de água corrente, dando preferência por ambientes com vegetação densa.

 

Situação populacional:

Contida

Bibliografia:

Garvey, N, Xenopus laevis (African Clawed Frog), Michigan (EUA), The University of Michigan Museum of Zoology, 2000, internet,

http://animaldiversity.ummz.umich.edu/site/accounts/information/Xenopus_laevis.html

Lovich, J E, Impact of invasive exotic animals on native reptiles and amphibians - African Clawed Frog, Sacramento - California (EUA), USGS: Western Ecological Research Center, 2003, internet,
http://www.werc.usgs.gov/hq/invasive/clawfrog.html

Willigan, E, Introduced Species Summary Project: African Clawed Frog (Xenopus laevis), Nova York (EUA), Columbia University, 2001, internet,

http://www.columbia.edu/itc/cerc/danoff-burg/invasion_bio/inv_spp_summ/xenopus_laevis.htm#Taxonomy

Fisher, R N; Case, T J, Xenopus laevis, the African Clawed Frog, San Diego - California(EUA), USGS: Western Ecological Research Center, 2003, internet,

http://www.werc.usgs.gov/fieldguide/xela.htm

Measey, J, Xenopus laevis (amphibian), Londres, UK, Global Invasive Species Database, 2004, internet,

http://issg.appfa.auckland.ac.nz/database/species/ecology.asp?si=150&fr=1&sts=sss

Ojasti, J; Jiménez, E G; Otahola, E S; Román, L B G, Informe sobre las Especies Exóticas en Venezuela, Caracas, Venezuela, Ministerio del Ambiente y de los Recursos Naturales, 2001

 

 

Criação

 

Aquário mínimo: a quantidade ideal de água para cada rã é 40 litros. O mínimo tolerado é 5 litros por indivíduo
Família : Pipidae
Ph: min: 5 max: 9 porem o ideal é 7
Temperatura : a temperatura ideal é aproximadamente 24ºC
Tamanho máximo : 13cm (com pernas esticadas)
Manutenção: Fácil
Agressividade: Media
Alimentação: Ração de Betta, ração de tartarugas, alimento vivo
Características: A rã albina é um animalzinho super simpãtico e ótimo para aquaristas inciantes pela sua fácil manutenção. É um animal que come peixes menores que ele, então não é aconselhável botar as rãs com peixes pequenos pois, mesmo que o peixe for um pouquinho maior que a rã, ela pode comê-lo.


Reprodução: O macho na fase reprodutiva fica com a parte interna das patas dianteiras de coloração bem escura/preta, além de coacharem!!! As femeas são maiores que os machos e mais "roliças", apresentam também um ovopositor na cloaca (parecendo um pequeno rabinho)! Na época da desova é ideal deixar o casal separado (2 machos não brigam, mas se tiver 2 machos com uma femea o stress durante a desova será muito grande). Coloque apenas um macho com a femea para que ocorra a desova tranquilamente.

Quanto à criação das larvas você deve ter um aquário ou tanque grande com muito fitoplancton (água verde), pois os girinos de xenopus são filtradores e se alimentam filtrando a água dia e noite

Webnode

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!